Ipad

Como dominar o uso da motosserra, motopoda e roçadeira no manejo de árvores em 5 semanas.

UMA SÉRIE DE 3 ENCONTROS ONLINE E GRATUITOS  I  28/09, 30/09 E 02/10
INSCREVA-SE:

Cadastre-se

Dicas para começar no manejo de árvores

Desafios, vantagens e os primeiros passos para atuar na área.

A minha experiência com o manejo florestal começou ainda na universidade. Sou Engenheiro Florestal e desde que iniciei meus estudos já tinha uma inclinação para atividades em campo. Dentre todos os nichos e linhas de atuação que a Engenharia Florestal oferece, eu escolhi o manejo florestal. Logo após a minha graduação, em 2005, já engatei o mestrado também nessa área.

Sempre gostei do ambiente acadêmico e tinha vontade de seguir na docência, mas quando terminei o mestrado surgiu uma oportunidade de trabalho profissional fora da universidade. Tive que escolher entre a experiência prática profissional ou um possível doutorado. Depois de quase 8 anos dentro da Universidade Federal de Santa Maria - UFSM, optei pela prática profissional.

O trabalho era no acompanhamento de equipes de manejo de vegetação, basicamente poda, supressão e roçada, em redes de distribuição de energia elétrica. E aqui já começaram os primeiros desafios:

Na prática, muitas vezes, a teoria é outra: todo mundo já ouviu ou já falou isso e sim, é verdade. Nem sempre é possível aplicar o conhecimento tal qual aprendemos na teoria. Precisamos saber lidar com fatores externos e muitas vezes condições adversas e situações de risco. Temporais e risco iminente de acidentes, por exemplo. Para que o trabalho aconteça da melhor maneira possível é fundamental termos o conhecimento como base e flexibilidade para tomar decisões. 
 
Relacionamento: dificilmente vamos aprender sobre relacionamento e comunicação em cursos de formação técnica. Esse é um tema extremamente importante que pode ser decisivo para o sucesso do teu trabalho. A tua relação com a equipe de trabalho, com os órgãos públicos ou privados envolvidos na atividade e ainda com a comunidade é determinante para o bom andamento do serviço. Como estabelecer uma relação de confiança com a equipe de trabalho para sejam cumpridas as normas legais e de segurança, como dialogar com a comunidade quando não concordam com o serviço, por exemplo. 

Visão global do trabalho: quando eu comecei a atuar na prática, ninguém me contou que o manejo de árvores possui tantas etapas. A medida em que o trabalho ia acontecendo e os problemas iam surgindo, eu fui aprendendo o processo e a sequência dos acontecimentos. O trabalho completo envolve desde a obtenção de licenças para a intervenção na árvore e para os equipamentos motorizados utilizados, motosserra e motopoda por exemplo, segurança no trabalho, conhecimento sobre o uso, funcionamento e manutenção dos equipamentos, avaliação da árvore e ambiente de trabalho, técnicas corretas de manejo, gestão dos resíduos verdes e por aí vai. Quando você entende o processo completo, fica muito mais fácil desenvolver a atividade da maneira correta além de minimizar a possibilidade de acidentes ou infrações.

É um trabalho extenso, mas também muito compensador e vantajoso caso você esteja pensando em especializar-se nesse nicho. As principais vantagens que eu vejo hoje são:

Comunidade consciente: grande parte da comunidade está mais consciente da sua responsabilidade sobre as árvores e florestas. Quando a população é esclarecida a respeito do cuidado correto com as árvores, seja em local público ou particular, há uma cobrança para que os profissionais executem o trabalho com responsabilidade e profissionalismo. Isso faz com que esses mesmos profissionais busquem pela boa informação. Assim, todos saímos ganhando, a comunidade que pode usufruir plenamente dos benefícios das árvores, as próprias árvores e meio ambiente e os profissionais que executam o trabalho correto, que passam a ser melhor valorizados.
 
Contribuição: geralmente quem opta por atuar no manejo de árvores, seja como empreendedor ou responsável técnico, é porque tem uma identificação com o ambiente de trabalho. Saber como preservar a saúde das árvores ao mesmo tempo em que busca o equilíbrio no seu convívio urbano, por exemplo, propiciando um ambiente harmônico para as pessoas e espécies arbóreas é muito recompensador, além de uma grande contribuição para as próximas gerações.

Conhecimento acessível: hoje o conhecimento é bem mais acessível aos profissionais que optam em atuar na área de manejo de árvores. Você já pode começar com uma base bastante sólida de informação e reduzir muito a possibilidade de cometer erros básicos, que podem ocasionar perdas financeiras e prejuízos profissionais.

Por onde começar então?

Primeiro: O primeiríssimo passo você já deve imaginar: busque o conhecimento. Mas não qualquer conhecimento e sim o bom conhecimento. Aquele que vai te dar recursos para lidar com as questões práticas no dia a dia de trabalho.

Segundo: Forme uma equipe ou busque parceiros com quem você possa ter uma relação de confiança e estejam alinhados aos teus propósitos de trabalho. Lembre-se que quando você trabalha em equipe, as ações e atitudes dos outros podem refletir na tua carreira profissional.

Terceiro: Busque sempre o equilíbrio entre o que precisa ser feito e o que deve ser feito. Respeito ao meio ambiente, discernimento e posicionamento são essenciais para um trabalho sólido e duradouro.

Tudo o que eu compartilhei contigo foi o que eu aprendi com a minha trajetória profissional até aqui e o que eu levo todos os dias para o meu trabalho.

O que você entende por manejo de árvores?

Manejo florestal, manejo de árvores urbano, manejo sustentável, manejo consciente. As denominações são muitas, mas na prática, existe mesmo diferença entre elas? Sim e não.

Eu recebo quase todos os dias mensagens com questionamentos sobre diversos assuntos relacionados ao manejo de árvores. Me chamou atenção nos últimos dias três perguntas parecidas entre si, porém diferentes de todas as outras que eu costumo receber, que foram: Gabriel, o que você entende por manejo de arborização urbana? Outra: Gabriel, o manejo de árvores é feito com consciência? E mais uma: como garantir um manejo sustentável? 

A palavra Manejo significa manuseio, manipulação, condução, controle. Já o conceito de árvore retrata um vegetal lenhoso de porte muito variável, que apresenta um caule principal ereto e indiviso, o tronco, e que emite ramificações a uma altura também variável, sempre distantes do solo, e formadoras da copa. O significado literal de manejo de árvore é, portanto, o manuseio, a intervenção feita no indivíduo arbóreo. Essa intervenção pode ser através de uma poda, plantio ou até mesmo a supressão da própria árvore. 

As técnicas corretas usadas nessas intervenções, também são praticamente as mesmas. Encontramos algumas diferenças quando falamos em árvores nativas de grande porte, como as que encontramos na Amazônia, por exemplo. E por técnicas corretas, entendemos aquelas que garantem o pleno desenvolvimento da árvore ou o mínimo impacto ambiental possível. (É importante ficar claro que a atividade de manejo de árvore não compreende apenas o corte, são várias etapas que iniciam no licenciamento até a gestão dos resíduos verdes gerados). 

Então o ato de manejar a árvore é o mesmo em qualquer um dos casos: manejo florestal, urbano, sustentável. Nessa perspectiva não existe diferença entre os conceitos, mas quando avaliamos o objetivo final de determinada forma de manejo, aí sim, encontramos diferenças:

Manejo florestal e/ou manejo florestal sustentável: entendo que a própria definição de manejo florestal já é sustentável, pois se refere a administração racional e adequada dos recursos da floresta para obtenção de benefícios econômicos, sociais e ambientais. Usufruímos dos benefícios da floresta ao mesmo tempo em que damos condições para que ela siga seu pleno desenvolvimento. A sustentabilidade também diz respeito a todas as etapas da atividade, desde o transporte, uso de equipamentos, gestão de resíduos e condições de trabalho dos profissionais envolvidos.

Manejo de árvores urbano ou manejo da arborização urbana: é realizado principalmente para adequar a árvore ao ambiente em que ela está se desenvolvendo. Portanto o tipo de técnica utilizada, tipo de poda por exemplo, deve estar alinhada ao motivo da intervenção: árvore em rede de energia elétrica, árvore de risco, árvores em formação e assim por diante.

Manejo de árvores consciente e responsável: está mais relacionado a preparação do indivíduo que executa o trabalho do que a própria intervenção, pois trata de saber avaliar a árvore e o ambiente como um todo para tomar as melhores decisões. Entender o motivo e aplicar a técnica mais indicada para a saúde da árvore, da vegetação no seu entorno e ainda fauna e flora presentes no local.

No final das contas, qualquer intervenção que você fizer em uma árvore é um manejo de árvore e se for para fazer, que seja com conhecimento, segurança, responsabilidade e mínimo impacto ambiental.
Feito com